Sunday, July 08, 2007

Eu admito,sem vergonha nenhuma,que eu não tenho um sonho,tenho no máximo um bocado de sono todas as noites. E tenho inveja!
Das ambições desmedidas e do som das palavras vívidas – tenho comigo,um punhado de pele massuda e uma densidade ínfima de gente que proclamam, aos cantos vazios da minha alma, que eu não sou inteira.
Gente inteira tem mais vida, eu sou mais uma das amputadas e sobrevivo aos dias.
E gente amputada tem o gosto do lugar-comum desgostoso,mas ao menos,não nos perdemos: não temos pernas para irmos além do dia mal desenhado, nem olhos para perceber os traços bruscos que o corrigem e tampouco ouvimos o grito do dia enquanto é pintado no esculhambo.
Comemos outro donuts açucarado, é que vida não tem sabor. Nem paixão,mas a gente ama o closet do quarto, o espelho do motel,o sorriso consertado e o creme anti-celulite.

1 Comments:

Blogger Yuri said...

Daqui uns 50 anos falarão de você. O conto do sutiã será um clássico. Esse também:

"Observem como a mestre fabiana já comentava, aos seus 22 anos, o caos existencial da vida moderna. Olhe só como ela tocava em assuntos tão delicados como a feminilidade e a ditadura da beleza."

11:03 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home